Projeto MoviSom _ APPDA-Setúbal

Caros sócios e amigos

No seguimento do donativo que a ACLIS deu para o Projeto MoviSom da APPDA-Setúbal, que promove competências em meio aquático e musicais para crianças e jovens autistas, fomos visitar as instalações no polo da Quinta do Conde e assistir a algumas aulas.

De manhã decorreram as aulas musicais, individualmente, com duração de cerca de 1h, na Quinta do Conde.

O que vimos foi o paciente e excelente professor Pedro Condinho a perguntar, logo no início da sessão, se o Manuel se lembrava do que tinham tocado na sessão anterior e a começarem a tocar as notas musicais, com o Manuel a cantar ao mesmo tempo.
Em muito pouco tempo, o Manuel já estava todo entusiasmado a tocar.

DSCF6904

Num momento da sessão, o Manuel olhou para uma tabela, disse o nome de todos os instrumentos musicais que lá estavam e escolheu um para tocar. Primeiro a tocar a olhar para a pauta, depois sem pauta.

DSCF6921

Neste projeto existem bandolins só com 1 corda, quando os bandolins têm 4 cordas. O intuito é por 4 crianças a tocarem 4 bandolins, cada um com uma afinação diferente. Os 4, a tocarem ao mesmo tempo, tocam a música completa de 1 bandolim habitual. É uma ideia diferente e muito interessante.
O Manuel esteve lindamente!

DSCF6912

Da parte da tarde decorreram as aulas na Piscina Municipal de Azeitão.

Seguindo as ordens do “General” professor Gonçalo, que os consegue por a fazer tudo e bem-dispostos, o Rafael fez várias atividades aquáticas, desde nadar (com apoio), apanhar argolas no fundo da piscina (teve de mergulhar), soprar bolinhas no cimo da água, de forma a que estas chegassem à outra ponta da piscina, entre outras.

DSCF6951

DSCF6945

O Rafael esteve sempre muito calmo e concentrado no que estava a fazer e notava-se que estava a gostar.

Foi um dia diferente passado com jovens com muitas capacidades que necessitam constantemente de ser estimulados, para terem mais qualidade de vida e independência.

www.aclis.org

Notas sobre a APPDA Setúbal e o Projeto MoviSom

A APPDA-Setúbal, Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), sem fins lucrativos, fundada em 2005 por um grupo de pais e técnicos que consideraram indispensável a constituição de uma Associação que promova o desenvolvimento, a educação, a integração social e a participação na vida ativa das pessoas com Perturbação do Espectro do Autismo (PEA), no Distrito de Setúbal.

Tem como Missão criar um projeto de vida com qualidade e dignidade para as pessoas com PEA e suas famílias, promovendo e defendendo os seus direitos, de forma a tornar a sociedade mais consciente da solidariedade inclusiva e da cidadania ativa.
Como Valores tem a promoção do respeito pela diferença e dignidade das pessoas com PEA, a inclusão, a não discriminação, a solidariedade e o associativismo.

Programa de Intervenção Psicomotora em Meio Aquático

Este programa visa a implementação da Natação Terapêutica e/ou Natação Adaptada, a adaptação ao meio aquático e a aprendizagem de técnicas propulsivas, promovendo aspetos psicomotores, como o equilíbrio, a coordenação e a estruturação espácio-temporal, e é um ponto de partida fundamental para a aprendizagem das técnicas de nado, com as devidas adaptações.
Para além de proporcionar a prática da Hidroterapia/Natação Adaptada, pretende-se também proporcionar a inclusão destes na sociedade, pois tem sido um caminho percorrido ao longo dos anos com muita dificuldade.
Este programa é um meio relaxante, que se molda ao corpo, massajando-o e suportando-o, podendo ser um meio de facilitação ou desbloqueamento de outros aspetos do desenvolvimento, tanto a nível motor, cognitivo ou sócio emocional. Viver a experiência de água no mar, praia ou na piscina é uma oportunidade de viver sensações únicas.

DSCF6971

Programa Musical

Este programa tem como objetivo promover competências musicais e estimular a entrega espontânea ao mundo das sensações, desenvolvendo motivações e favorecendo a expressão, comunicação, linguagem e interação social, ao mesmo tempo que, de forma subtil, se introduzem elementos que permitem reforçar os hábitos adquiridos e assimilar a realidade das pessoas com PEA, com o intuito de contribuir para a reabilitação/reeducação funcional e a melhoria do bem-estar físico e psíquico destas pessoas, promovendo deste modo a igualdade de oportunidades para a prática da música e a melhoria da qualidade de vida destas crianças e suas famílias.
Com efeito, a musicoterapia traz bastantes benefícios para as pessoas com PEA, entendendo a sua importância, quer no envolvimento e adesão às atividades musicais das pessoas com PEA, quer no impacto que esta intervenção tem em contexto familiar.
A música é um mediador bastante poderoso que pelo facto de não ser ameaçador permite a livre comunicação, expressão e criatividade. Para os indivíduos com PEA, a musicoterapia oferece uma variedade única de experiências musicais, que de forma intencional procuram efetuar mudanças ao nível da relação, da comunicação, do desenvolvimento, da expressão, do comportamento, e das competências.

IMG_1910

www.appda-setubal.com